* Governo do Egito pediu que o leilão seja cancelado

Um busto de Tutankhamun de 3.000 anos de idade, que o Egito alega ter sido roubado, foi arrematado por 4.7 milhões de libras (US $ 6 milhões) em leilão.

O Egito convocou a casa de leilões Christie’s para cancelar a venda da relíquia que representa o antigo rei-menino Tutancâmon.

O Ministério das Relações Exteriores do país diz que o busto foi provavelmente roubado de um templo egípcio durante a década de 1970.

A Christie’s diz que o Egito não expressou preocupação com o busto no passado, apesar de ter sido exibido publicamente.

O quartzito marrom, relíquia de 28cm (11em) vem de uma coleção particular de arte antiga que a Christie vendeu pela última vez por £ 3m em 2016.

‘Alta chance’ de câmara no túmulo de Tut
Restauração da tumba de Tutancâmon concluída
Em um comunicado, a Christie’s disse: “O objeto não é, e não foi, objeto de uma investigação”. A casa de leilões disse que nunca leiloaria um objeto sobre o qual havia preocupações legítimas.

A Christie’s também publicou uma cronologia dos donos da relíquia nos últimos 50 anos. O busto é compreendido como tendo sido adquirido do aristocrata alemão Prinz Wilhelm von Thurn entre 1973 e 1974.

A casa de leilões também disse que a existência do busto já era conhecida há um bom tempo e que estava em exibição há vários anos.

O ex-ministro de antiguidades do Egito, Zahi Hawass, disse à agência de notícias AFP: “Achamos que ele deixou o Egito depois de 1970, porque nesse período outros artefatos foram roubados do templo de Karnak”.

O Egito introduziu leis em 1983 proibindo a remoção de artefatos do país.

Tutankhamun morreu há mais de 3.000 anos, aos 19 anos. Seus restos mortais foram encontrados em 1922.

Souce | BBC NEWS
https://www.bbc.com/news/world-middle-east-48865336

SELECIONAR IDIOMA

PUBLICIDADE INTERNACIONAL

Advertisement

error: Content is protected !! Luxo Magazine . com